A menina nua da avenida

"Menina nua" na Avenida dos Aliados. Escultura de Henrique Moreira, 1929.

Estou apaixonado pela menina nua da avenida. Sempre que me vê sorri de forma diferente. Da última, fez-me lembrar a Mona Lisa num sorriso ambíguo e enigmático que me deixou à deriva.
Já a senti maliciosa. E envergonhada. E divertida. E atrevida. E inocente.
E efusiva até, de cachecol ao pescoço vestida pelas cores das vitórias dos clubes do Porto. Já a vi rir-se com desdém dos políticos vaiados pelas manifestações. E sei que atura com a boa disposição do costume os bêbedos e os sem-abrigo que passam a noite com ela. Não lhe conheço casos amorosos e quase podia jurar que goza com os comentários provocatórios arrulhados pelas pombas frequentemente pousadas nos ombros e na cabeça. Dizem que nas noites de lua cheia de cio, salta do plinto, lava-se na água dos mascarões e vai matar o desejo com os homens-estátuta dos prédios vizinhos, na Pensão Avenida, mesmo ali ao lado.
Da última vez, roído de ciúme, perguntei-lhe se era verdade.
Respondeu-me com o tal sorriso monalísico…

Comentários

Anónimo disse…
Victor, não páres nunca de escrever. Obrigada.
Bj

Cristina

Mensagens populares deste blogue

Morte em beleza...

Nas nuvens...

Paulo Rebelo - O profissional das apostas (notas sobre uma reportagem TVI)